Você está em: Início / Notícias / Fisioterapia pélvica na gravidez: saiba os benefícios do tratamento

Fisioterapia pélvica na gravidez: saiba os benefícios do tratamento

21/08/2019

A fisioterapia pélvica é uma especialidade que trabalha com o fortalecimento do assoalho pélvico, região que serve como suporte para a bexiga durante a gestação. Além de evitar casos de incontinência urinária, o tratamento é recomendado na preparação do parto e para controle de diástase abdominal, seja antes ou depois da gravidez.

De acordo com a fisioterapeuta Michele Araújo, casos de incontinência urinária são comuns em gestantes justamente pelo enfraquecimento do períneo. “Ele precisa estar fortalecido e preparado para agir como suporte durante a evolução da gravidez e quando isso não acontece é preciso trabalhar a musculatura do assoalho pélvico”, diz.

Outra situação que requer fisioterapia pélvica durante a gestação é a diástase abdominal, uma condição em que há uma separação da musculatura próxima ao umbigo durante a gestação para que a criança tenha espaço para se desenvolver. Quando a situação não é controlada, o afastamento dos músculos contribui com a flacidez e com dores lombares durante o pós-parto.

De acordo com a fisioterapeuta, a diástase pode ser causada devido ao ganho de peso durante a gestação ou pela prática de atividades físicas que exigem o exagero do uso da musculatura abdominal. O tratamento para reabilitação da região pode ser feito durante a gravidez ou após o nascimento da criança, em casos de sintomas pós-parto.

Em casos de gestantes que terão parto natural, a fisioterapia pélvica é recomendada para fortalecer os músculos do assoalho pélvico, amenizando as dores, impedindo disfunções no pós-parto e atuando na recuperação. Para quem opta ou tem necessidade de passar por uma cesárea, além desses benefícios, a fisioterapia reduz as dores na coluna.

“A parte postural da gestante é trabalhada na fisioterapia para que não aconteçam dores lombares e desvios da coluna, como consequências levadas para depois da gestação”, diz Michelle. Ela ressalta que somente um especialista é capaz de avaliar as necessidades de cada paciente, indicando os exercícios adequados para cada situação.

por Juliana Melo e Raquel Almeida


Veja também