Você está em: Início / Notícias / Conscientização sobre trânsito seguro é tema de debate em Aracaju

Conscientização sobre trânsito seguro é tema de debate em Aracaju

10/02/2020

A conscientização no trânsito com enfoque para a educação das crianças foi tema de um  debate durante a tarde desta segunda-feira, 10, em um hotel da Orla de Atalaia. Na oportunidade, também foi lançado o programa “Educa”, desenvolvido pelo Observatório Nacional de Segurança Viária (ONSV), que disponibiliza material pedagógico para educar e conscientizar as crianças sobre a importância da educação no trânsito.

“Quando algumas pessoas vão para os EUA ficam impressionados porque lá o pessoal segue as regras. Já aqui dizem que não seguem”, explica o o diretor-presidente do Observatório Nacional de Segurança Viária, Aurélio Ramalho. Por outro lado, esses mesmos motoristas, na visão de Ramalho, se transformam quando estão conduzindo seus veículos. “Muitos se sentem imponentes sentados num banco de um carro e querem tirar vantagem dos outros condutores e também dos pedestres”, destaca.

Visando, então, mudar essa realidade a longo prazo, Ramalho destaca a importância de se educar as crianças sobre os deveres e direitos de todo condutor e também dos pedestres. “Crianção não é motorista. A criança pode ser ocupante de automóvel, pedestre ou até ciclista. Dessa forma, acreditamos que todo um conteúdo pedagógico pode sensibilizar as crianças, contribuindo,  para que elas possam se tornar adultos conscientes”, afirma. “Com isso, nós vamos preparando as crianças para que elas possam se tornar cidadãos preocupados com a educação no trânsito”, completa.

Ainda segundo o diretor-presidente, o programa “Educa” está pronto para oferecer uma abordagem cada vez mais crítica ao importante tema que é a educação no trânsito, tendo como objetivo último preservar vidas. “O projeto desses livros diatáticos contempla do 1º ao 9º ano do Ensino Fundamental e foram aprovados pelo Conselho Nacional de Trânsito (Contran) e pelo Departamento Nacional de Trânsito (Detran)”, salienta Ramalho.

por João Paulo Schneider 


Veja também