Você está em: Início / Notícias / Veterinário recomenda cuidados com animais de rua durante pandemia

Veterinário recomenda cuidados com animais de rua durante pandemia

30/03/2020

O cenário de pandemia provocado pelo novo coronavírus (Covid-19) tem afetado a rotina da população dos países com focos de contaminação e provocado mudanças substanciais no dia-a-dia com as recomendações de isolamento dos órgãos de saúde pública. Além das pessoas, os animais também têm sentido os reflexos desse isolamento e o cenário para os bichos abandonados nas ruas tende a piorar nos próximos dias, podendo culminar ainda na disseminação de zoonoses.

De acordo com o veterinário Cassiano Fernandez esse temor tem sido manifestado pela categoria de veterinários e por ativistas da causa animal. “A preocupação maior da gente são as outras doenças oriundas de zoonoses. Se não os alimentarmos minimamente, a tendência é agravar esse quadro da saúde publica porque esses animais vão acabar ficando doentes”, destacou ao afirmar que ter cuidados básicos com os bichos gerará qualidade de vida para eles e para a própria população.

Cassiano alerta também para as fake news que tem sido disseminadas com a possibilidade de transmissão do novo coronavírus em animais domésticos. “Estamos em uma época de fake news. Por exemplo, estão dizendo que o Covid é transmitido pelos animais, mas não é nada disso. Existem várias espécies desse vírus que se manifestam em animais diferentes, a exemplo da enterite e da PIF [Peritonite Infecciosa Felina], as quais só se manifestam nos gatos e nos cachorros, respectivamente”, alertou.

O veterinário indica que, para além da manutenção da alimentação e da ingestão de água dos bichos, os voluntários devem manter os recipientes sempre limpos para evitar a proliferação de outras doenças, tais como a dengue e a leishmaniose. “É preciso manter a alimentação, mas ter cuidado com a água e lavar sempre o recipiente porque o líquido é local de multiplicação do Aedes Aegipty. Precismos ajudar sem nos prejudicar e prejudicar eles”, concluiu.

por Daniel Rezende


Veja também