Você está em: Início / Cultura / Orquestra Sinfônica apresentará Festival de Música Russa no Teatro Tobias Barreto

Orquestra Sinfônica apresentará Festival de Música Russa no Teatro Tobias Barreto

26/04/2018

Os ingressos, a preços populares, já estão disponíveis na bilheteria do Teatro Tobias Barreto

Na próxima quinta-feira, 26 de abril, sob a regência do Maestro Guilherme Mannis, a Orquestra Sinfônica de Sergipe realizará o Festival de Música Russa: um concerto inteiramente dedicado à interpretação de grandes obras do Romantismo da Rússia. Abordando três compositores, o grupo revisitará a peça “Uma Noite no Monte Calvo”, de Modest Mussorsgky (1839-1881) e executará, pela primeira vez em Sergipe, duas outras importantes obras: “Nos Estepes da Ásia Central”, de Alexander Borodin (1833-1887) e a Sinfonia nº1, em Sol menor, de Vassily Kallinikov (1866-1901). Os ingressos, a preços populares, já estão disponíveis na bilheteria do Teatro Tobias Barreto. A ORSSE é uma realização da Secretaria de Estado da Cultura, com apoio da Segrase.

O maestro Guilherme Mannis define a música russa e a sua relação com a orquestra sergipana como “tão distante e tão próxima”, e completa que o grupo já executou integralmente as Sinfonias de Tchaikovsky e muitas obras de Rachmaninoff, Borodin, Mussorgsky, Prokofiev, Shostakovich, entre outros. “O lirismo dos temas desenvolvidos, aliados ao romantismo arrebatador cai muito bem a nossos músicos, fazendo com que este repertório configure-se sempre em sucesso de interpretação e de público.”

A peça “Uma Noite no Monte Calvo”, trata de um poema sinfônico composto para uma cerimônia de bruxas realizada na noite de São João. Os ricos contrastes dinâmicos e de orquestração tentam explorar as mais variadas expressões do espírito do compositor, que foi o membro mais criativo do mais importante grupo de compositores românticos nacionalistas do fim do século XIX: o “Grupo dos Cinco”. De outro importante membro deste grupo, Alexander Borodin, a ORSSE interpretará a obra “Nos Estepes da Ásia Central”. Esta peça representa o silêncio das grandes Estepes daquele continente, permeado por belíssimas canções folclóricas de camponeses.

Completa o programa a Sinfonia nº1, de Vasily Kallinikov. Muito conhecida na Europa, a peça é pouco executada no Brasil. Evidencia um compositor maduro, apresentando melodias arrebatadoras e utiliza a orquestra na mais absoluta plenitude, em um festival de emoções. O compositor morreu muito jovem, aos 35 anos.

Sobre o maestro

Guilherme Mannis é Diretor Artístico e Regente Titular da Orquestra Sinfônica de Sergipe desde 2006, onde tem dividido o palco com artistas como Maria João Pires, Michel Legrand, Nelson Freire, Jean Louis Steuerman, André Mehmari, Emmanuele Baldini, Rosana Lamosa, Wagner Tiso, Amaral Vieira, Eduardo Monteiro, entre outros. Como regente convidado tem dirigido importantes grupos no Brasil e exterior, tais como a Sinfônica do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, Amazonas Filarmônica, Petrobras Sinfônica, Sinfônica de Porto Alegre, Sinfônica do Paraná, Sinfônica de Roma, Sinfônica de Bari, Sinfonia Toronto, World Youth Orchestra, Sinfônica de Rosário (Argentina), Sinfônica do Espírito Santo, Sinfônica da USP Teatro Nacional de Brasília, Experimental de Repertório, Sinfônica da Bahia, Sinfônica Heliópolis, Sinfônica do Teatro São Pedro, Sinfônica de Monterrey, Sinfônica de Guanajuato, entre outras. Doutorando em música, foi aluno destacado dos maestros Isaac Karabtchevsky e John Neschling. É professor do Departamento de Música da Universidade Federal de Sergipe. 

 

 

 

 

Fonte: ASN


Veja também